EPÍSTOLAS CRISTÃS

7 de setembro de 2016

Templos do Espírito

Filed under: Blogroll — epistolas @ 16:05

CAPITULO I

  1. Com o passar do tempo, a partir da ascensão de Cristo, templo deixou de ter para os primeiros cristãos o sentido de casa de Deus, como costumeiramente ouvimos falar em igrejas hoje.

  2. Mas, isso é natural, pois o Deus que criou os céus e a terra não habita em templos edificados por homens; nada é capaz de comportar a presença de Deus.

  3. Além disso, dos dias dos primeiros cristãos para frente, outras coisas mudaram. Cristo abriu um novo e vivo caminho.

  4. Sacrifícios de animais oferecidos no templo foram substituídos pela única e perfeita oferta, que é Cristo, o Cordeiro de Deus, que um dia extirpará a morte e o pecado do mundo.

  5. Templos de pedra foram trocados por tabernáculos de carne e osso, assim como está escrito: “Vós sois o templo do Espírito Santo”.

  6. Leis entalhadas em tábuas de pedra começaram a ser escritas em mentes e corações. A letra dos mandamentos começaram a tornar-se espírito e vida.

  7. E, dessa forma, sem templos, sem rituais, sem dinheiro, pessoas simples propagaram o Evangelho naquele mundo antigo.

  8. Não tinham a Bíblia, pois eles próprios eram os livros. Não tinham as epístolas apostólicas, no começo, pois eles mesmos eram as cartas.

.

CAPÍTULO II

  1. Mas, após a morte dos apóstolos, os cristãos passaram a dar início a um grande retrocesso espiritual.

  2. O que era espírito e vida tornou-se novamente letra morta escrita em livros sagrados.

  3. Templos de pedra passaram a ser reconstruídos e valorizados; sacrifícios e indulgências tornaram-se moedas de troca.

  4. Os antigos apóstolos, simples colaboradores, foram substituídos por senhores e mercadores da fé.

  5. O que era um simples caminho ou modo de vida tornou-se um grande império político-religioso.

  6. Por isso, conforme declarou nosso amado irmão Pedro, o juízo de Cristo começa com quem professa segui-lo.

  7. Não começará com ateus e os demais que nunca ouviram nossa mensagem. A cobrança começará comigo e com você, que ouvimos a sua palavra, conhecemos o seu amor e temos o dever de andar como ele andou.

  8. Porque os que apenas ouvem não são justos diante de Deus, mas os que praticam o são. Aqueles que nunca ouviram, mas que praticam, julgarão pelas suas obras os que apenas ouviram.

  9. Isso, provavelmente ocorrerá no dia em que Deus for julgar os segredos dos homens, por meio de Jesus Cristo.

.

Discípulo de Cristo

E-mail: campelo1000@gmail.com

Anúncios

25 de março de 2015

Nossa Esperança

Filed under: Blogroll — epistolas @ 1:28

TERRA 2

  1. Se somos verdadeiramente cristãos, preguemos então o Evangelho! Mas, não divulguemos nada além do que recebemos de Cristo e dos apóstolos.

  2. O Evangelho do Reino é instrumento de Deus para a salvação de todo aquele que crer, pois Cristo morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para nossa regeneração.

  3. A morte de Cristo foi a nossa morte e a sua ressurreição foi a nossa ressurreição. Aquele que morreu foi o mesmo a quem Deus ressuscitou; que apareceu a Pedro, a Tiago, aos apóstolos e a mais de quinhentos irmãos, e que, após sua ascensão, apareceu ao nosso amado irmão Paulo.

  4. Não existe salvação sem ressurreição, nem ressurreição sem salvação. Se não tem ressurreição, tampouco Cristo ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, tudo o que os apóstolos presenciaram não passou de ilusão ou mera invenção.

  5. Desde os primeiros cristãos até agora, sempre tem aparecido os que ensinam não haver ressurreição, ou que a mesma tem apenas um sentindo figurado. Na verdade, agindo assim, estão simplesmente considerando os apóstolos e os demais irmãos daquele tempo falsas testemunhas de Deus.

  6. Mas, a nossa esperança é a mesma de todas aquelas testemunhas de Deus. A nossa esperança está naquele que é o primogênito dentre todos que ressuscitarão para fazer parte de seu reino. E como primogênito abrirá caminho para a ressurreição de todos os  que morreram.

  7. E, como afirmou nosso irmão Paulo, virá o fim, quando todos os inimigos de Cristo serão postos debaixo de seus pés – inclusive a morte, que será destruída.

  8. Essa é a nossa esperança: a vida eterna sob o Reino eterno de Deus e de Cristo, onde o que é mortal se revestirá do que é imortal e a imagem e semelhança de Deus será em nós restaurada. Onde ninguém dirá que está doente. Onde todos os que têm sede terão a chance de ser guiados aos rios de água da vida.

  9. A nossa vida sob o governo humano é muito curta. Nada se compara àquilo que Deus tem preparado para todos os súditos de seu governo eterno.

  10. Como peregrinos da era presente, cumpramos com nossas obrigações perante os atuais governos, dando a César o que é de César. Mas, acima de tudo e em primeiro lugar, busquemos as coisas do Governo que durará para sempre.

Discípulo de Cristo

E-mail: campelo1000@gmail.com

 

Blog no WordPress.com.